(Português) O norte final – Parte 1

posted in: Peru | 0

Sorry, this entry is only available in European Portuguese and French. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in one of the available alternative languages. You may click one of the links to switch the site language to another available language.

Há que assumi-lo, fomos ao Perú sem o nosso Quetzal.
A um pouco menos de dois meses do final da nossa viagem (sim, porque nada pode durar para sempre…) damos por nós num dilema: continuar Perú acima em bicicleta ou deixar o Quetzal a descansar um pouco mais na casa da nossa amiga Isa em La Paz. Dois meses pode parecer muito tempo para o comum dos mortais que tem no máximo três semanas de férias seguidas ao ano, no entanto, na escala de tempo do ciclista, dois meses é claramente pouco tempo para se ver um país tão grande como o Perú decentemente. Além do mais, dois pontos de passagem obrigatória para nós, se impunham: a Cordilheira Branca e Chicama, localizados no centro e norte do Perú, respectivamente (bem longe um só outro). Assim sendo, e com vontade de terminar mais tarde a nossa viagem em La Paz, decidimos partir para uma ida e volta ao Perú em modo ultra-light: uma grande mochila e uma pequena mochila.

O primeiro ponto de passagem, ainda no final de Maio, foi a famosa zona de Cusco, com o seu mais-que-célebre Machu Picchu. Aqui chegámos desde La Paz, após 15 dolorosas horas de autocarro. Em toda esta zona estivemos acompanhados da Ema e da Apo, as duas tandemistas francesas que já havíamos conhecido e que deixaram também a sua montada em repouso uns dias.
Como toda a gente vai ao Machu Picchu directamente ou seguindo o cem-mil-vezes-calcorreado Inca Trail, decidimos que íamos fazer diferente. Alguém nos falou num tal trek do Choquequirao, o pseudo novo Machu Picchu, pouco visitado e ainda em exploração. Ok, porque não, vamos lá então ver essas ruínas alternativas. O que não nos explicaram, é que chegar às fantásticas ruínas implicava desníveis diários de 1400 m de descida e 1300 m de subida, num mesmo vale (portanto na descida já se vêem maravilhosamente bem todos os zigzags da subida…), infestados de mosquitos, ou pior, de mini-mosquinhas que picam, sem fazerem ruído algum, qualquer milímetro quadrado que não esteja 100% coberto de repelente durante uma fracção de segundo e que dão uma comichão danada durante dias ou mesmo semanas. Está explicada a falta de frequentação de tão inéditas ruínas!
Junte-se a um trek duríssimo sob um sol escaldante o facto de que eu e o Seb, em dieta por causa da vida que nos habita, não podermos comer açúcares, nem gorduras, nem lácteos, no fundo tudo o que permite uma sobrevivência digna num trek desta espécie.
Enfim, lá sobrevivemos e felizmente, graças à sugestão dum guia francês providencial, alteramos os planos dos últimos dois dias de trek, e em vez de chegarmos a Aguas Calientes directamente a partir de Yanama, decidimos explorar um antigo caminho Inca num outro vale, que desta vez sim, vale bem a pena!
Eventualmente chegamos a Aguas Calientes e enfrentamos com coragem a horda de turistas mochileiros, ricos, novos, velhos, um pouco de todo o mundo, e visitamos dignamente o Machu Picchu acompanhados de um guia, concluindo por fim que deixem-se lá de tretas por favor, o Choquequirao é boniro, mas o Machu Picchu é bem mais lindo, trabalhado e variado que o Choquequirao, e não é preciso ser comido vivo pelas mosquinhas nem subir e descer todos os vales da região para o poder apreciar.
Terminamos este capítulo da visita ao Perú em Cusco, provavelmente a mais bela cidade da América do Sul, pelo menos daquelas em que estivemos e estaremos nós.

Cholitas da janela do autocarro.
Cholitas da janela do autocarro.

image

Desaguaero: fronteira Bolívia - Peru
Desaguaero: fronteira Bolívia – Peru
A máfia cholita - câmbio de moeda.
A máfia cholita – câmbio de moeda.
Yo amo Jesus (e o sumo do açúcar de cana).
Yo amo Jesus (e o sumo do açúcar de cana).
image
O caminho das mosquinhas.

image

image

image

Terraços de Choquequirao.
Terraços de Choquequirao.
Casa do sacerdote.
Casa do sacerdote.
Ruínas de Choquequirao.
Sítio de Choquequirao.

image

image

image

image

image

Os terraços dos Lamas.
Os terraços dos Lamas.
Nós e os lamas.
Nós e os lamas.

image

image

image

Río Blanco.
Río Blanco.

image

image

image

A caminho de Yanama.
A caminho de Yanama.

image

Camping em Yanama.
Camping em Yanama.

image

image

image

image

image

Caminho Inca.
Caminho Inca.
Machu Picchu
Machu Picchu.

image

image

El condor.
El condor.
Puente del Inca.
Puente del Inca.

image

image

image

Tiemplo del Sol - Machu Picchu.
Tiemplo del Sol.
Plaza de Armas de Cusco.
Plaza de Armas de Cusco.
Escadaria em Cusco.
Escadaria em Cusco.
Igreja.
Igreja.
Plaza de Armas.
Plaza de Armas.
Igreja de San Pedro.
Igreja de San Pedro.
Paredes Incas.
Paredes Incas.
Pedra Inca dos 12 ângulos.
Pedra Inca dos 12 ângulos.

Leave a Reply